Onde comprar em Vancouver

Junho 21, 2011

Recebi uma mensagem perguntando sobre dicas de Vancouver. Então vou começar por este post.  

Onde comprar roupas em Vancouver 

Bom, começando pelos os arredores de onde moro, a Robson Street e o Pacific Center têm várias lojas e quase todas as grandes marcas. Mas isso não significa que o preço seja o mais baixo.

As lojas vira e mexe fazem promoções. E normalmente as promoções são boas, é só ficar de olho.

Tem vários shoppings ao redor da cidade. O maior deles é o Metrotown. O skytrain tem uma estação na porta. Lá tem todas as lojas daqui do centro e algumas mais. Se você não se importa com marcas, lá tem algumas lojas que saem bem mais em conta.

E também vai depender da loja na qual você quer gastar seu dinherinho. Só para citar 3 lojas do mesmo grupo, se você vai na Banana Republic, os preços são altos. Na Gap já fica mais acessível. Na Old Navy, já dá para sorrir um pouco mais.

Mas se é para economizar mesmo, o bom é procurar os outlets. Quase todos os sites das lojas tem o endereço de alguma loja outlet.

O Queensborough Landing em New Westminster concentra várias lojas como Guess, Tommy Hilfiger, Calvin Klein, Roots, entre outras. O endereço é 805 Boyd Street. Para chegar lá é só pegar o skytrain até 22nd station e depois um ônibus, como o 340, para atravessar a ponte.

Daqui do centro são uns 50 a 60 minutos tanto de carro quanto de transporte público. Pode ser longe, mas vale a pena. Os preços são muito mais baixos, experiência própria. Já comprei uma calça jeans na Guess por $30.

Agora, se for para economizar mesmo, vale atravessar a fronteira e ir no Seattle Premium Outlets no caminho de Seattle. São mais ou menos duas horas de carro até lá, sem contar com o tempo na fronteira, que é sempre uma surpresa. Já levei 3 horas, já fiquei parado por 20 minutos.

Os preços nos Estados Unidos já são mais baratos normalmente. Sem contar que os impostos canadenses são mais altos. Nos outlets os preços são ainda mais baixos. Por exemplo, já comprei uma calça social na Banana Republic por 30 dólares.

Sem contar que o preço da gasolina é muito menor. E que você pode comprar vinhos com preços bem melhores em qualquer supermercado ou posto de gasolina.

E aí pensando assim, dá para estender a viagem e visitar Seattle.

Só não dá para esquecer de uma coisa. Tem um limite de compras para o outro lado da fronteira. Se você fica menos de 48 horas por lá, só pode trazer 50 dólares em produtos por pessoa. Se ficar mais de 48 horas, aí sobre para $400.


Sensação de segurança

Janeiro 6, 2011

Na segunda-feira eu e Luiza pegamos um ônibus. Entramos, sentamos e olhamos para o lado. Tinha um cara com uma televisão Sony Bravia LCD de 32”. Ele provavelmente tinha acabado de comprar. Ontem passei pela loja da Sony e estava realmente valendo a pena: CDN$369,99. Rastros ainda das promoções pós Natal, Boxing Sale Week.

Promoções a parte, o que chamou atenção foi alguém carregando uma TV no ônibus. Ainda mais isso tendo acontecendo dois dias depois de chegarmos do Brasil.

Na verdade não deveria chamar atenção. Já vi várias pessoas trabalhando em seus lap tops nos ônibus. Ou o que é mais recente, nos Ipads. Para eles não é nada demais.

Lembro que, mais de um ano atrás, quando compramos um lap top para a Luiza, fui carregando a caixa pela rua. A Luiza a princípio estava desconfortável de andar com um computador na caixa por aí. Sugeriu até que pegássemos um taxi. Mas eram somente dez minutos andando. E ninguém deu bola para a gente.

Talvez isso tudo tenha vindo a minha cabeça agora porque quando fomos ao Brasil uma situação parecida aconteceu com uma amiga nossa. Ela pegou um ônibus e puxou seu Ipod da bolsa. Imediatamente todo mundo olhou para ela. Não é uma coisa normal e não deveria ser feita no Rio.

O Ipod ainda é muito caro no Brasil. É uma coisa que não é qualquer um que pode ter. Ao contrário daqui. Qualquer um tem acesso a Ipods, Ipads, lap tops. Sim, os preços são um pouco mais baixos aqui. Mas não é só por isso.

A desigualdade social no Canadá é muito menor. O salário mínimo é por volta de CDN$1400 (por volta porque eles contam 8 dólares mínimos por hora e não o salário mensal, e ainda assim é o mais baixo do país). No Brasil vai aumentar para 540 reais mensais.

Aqui, um Ipod Nano de 8GB custa 178 dólares já com os impostos. No Brasil, custa 549 reais. Ou seja, mais que o salário mínimo.

Enfim, o que quero dizer é que o Brasil pode estar no caminho certo, pode estar melhorando em várias coisas. Mas talvez ainda tenha um longo caminho pela frente. Afinal, repetindo a fala de um amigo meu: se você quer usar o lap top no ônibus, você tem que limpar sua privada.


Estamos de mudança!

Maio 11, 2010

Após voltarmos para Vancouver, tínhamos uma grande tarefa pela frente. Antes de viajar para o Rio demos o aviso que iríamos sair do apartamento no final de maio, então tínhamos que procurar nossa nova casa na cidade.

Decidimos que continuaríamos no West End. A vida aqui é bem calma mesmo estando perto do centro e de tudo. Continuamos achando que vale a pena pagar 100 a 200 dólares a mais e morar aqui do que ir para um lugar um pouco mais longe e ter que gastar isso em condução. Aqui podemos fazer a maior parte das coisas a pé e estamos perto de tudo. 

Passamos sábado, domingo e segunda andando pelas ruas e procurando um apartamento de 1 quarto que fosse mais ou menos o mesmo preço que pagamos aqui e um pouco maior, num prédio que tivesse menos apartamentos, com menos entra e sai.

Pensávamos que de repente os preços poderiam ter diminuído no pós Jogos Olímpicos, pois muitos estrangeiros que vieram para a cidade a trabalho teriam já ido embora. Na prática isso não aconteceu muito não. Mas pelo menos os preços não estão mais altos do que há um ano atrás.

Vimos todos os tipos de apartamentos. Alguns pequenos e pedindo preço alto demais, outros com um bom tamanho mas com todas as portas de armário não fechando direito, outros com banheira rosa ou verde, com carpete, sem carpete, com estacionamento incluído no aluguel, sem estacionamento, com piscina, sem piscina, com piscina coberta, com mini academia, sem mini academia, permitindo animais de estimação, não permitindo, andares altos, andares baixos, prédios altos, prédios baixos, com os managers entrando de qualquer jeito em apartamentos ainda ocupados, apartamentos já vazios, com vista para a montanha, com vista para o mar, com vista para o beco, vista para a rua, árvore na janela, com varanda, sem varanda, cozinha pequena, cozinha grande, cozinha minúscula, com janela na cozinha, sem janela, sala com muitas janelas, sala com poucas janelas, poucas janelas que abrem, enfim, um pouco de tudo.

Ficamos meio doidos com tanto apartamento. É engraçado como alguns preços são totalmente fora da realidade. 

No final das contas ficamos na dúvida entre dois. Então voltamos a eles no final da tarde de ontem e depois de muito pensar e conversar e pensar e conversar, nos decidimos.

Hoje de manhã fomos preencher os papéis para ver se aprovavam a gente. Uma coisa que às vezes é um pouco complicada pois estamos somente há um ano e três meses no país. Mais complicado ainda porque não tenho trabalho fixo, sou contratado por trabalho.  

Mas como nosso crédito é bom, nunca atrasamos nenhuma conta, sempre pagamos em dia, tudo deu certo. Eles ligaram para o síndico do prédio onde moramos atualmente, pegaram um extrato do nosso crédito bancário e ligaram para ex-chefes nossos. Em menos de meia hora nos avisaram que fomos aprovados.

Nosso novo apartamento tem uma sala e um quarto maiores do que o que estamos atualmente, tem piscina coberta e varanda. A única coisa que hoje temos, mas lá não tem é uma mini academia. Algo que talvez faça falta no inverno, pois correr no frio é meio complicado… mas isso é uma coisa para se pensar só depois de outubro. 

Agora é só esperar o fim do mês para mudarmos. Agora queremos mudar logo. Ainda estamos no dia 11…

Ps.: A propósito, vimos vários apartamentos de 1 quarto no West End e os preços variavam de 950 a 1400 dólares. Tudo depende do que você quer, mas existem várias boas opções em torno dos 1100.


Custo de Vida em Vancouver – supermercados II

Junho 10, 2009

Para quem quiser ter uma idéia do preço de alguns produtos nos supermercados daqui, lá vão os valores em dólares canadenses de algumas compras dessa semana:

No Dennis No Frills:
Coca 2L – 1,79
Macarrão – 1,97
Salsicha (pacote com 12) – 1,97
Arroz 2kg – 3,29
Miojo (não é o Miojo, é outra marca) – 0,25
Ovos large dúzia – 2,38
Activia 8 potes – 3,99
Pizza congelada – 5,47

Safeway:
Leite 4L – 4,53
Milho – 0.99 por espiga
Carne de soja temperada 200g – 3,99
Sirloin (contrafilé) – 18.50 kg
Basa (peixe) – 17,90 kg

Quanto ao peixe Basa, acabei de descobrir que é um tipo de catfish pescado em grande parte no Vietnã e apreciado nos mercados mundiais, especialmente nos EUA. O bom é que é gostoso e mais barato. Viva a globalização! Viva a internet e o Google!


Custo de Vida em Vancouver- supermercado

Junho 4, 2009

Já ouvi muitas pessoas comentando o custo do supermercado aqui em Vancouver e não sabia se me enquadrava no valor que diziam. Não tinha nem certeza de quanto gastávamos aqui. Tinha uma idéia, mas valores não. Resolvi fazer as contas.

No primeiro mês da gente aqui, gastamos obviamente mais. Não conhecíamos os lugares, não tínhamos noção de onde era mais barato. Nossas primeiras compras foram no Market Place IGA.

Assim que fomos conhecendo melhor a área, encontramos um Safeway e vimos que era mais barato. Ainda mais se fizéssemos o cartão de fidelidade deles que dá desconto em vários produtos. O Super Value também tem um preço próximo ao do Safeway.

Mais um tempo e descobrimos o Dennis No Frills, que era mais barato ainda. Começamos a economizar mais. Só uma coisa que não consigo comprar no No Frills ou no Super Value: a carne. 

No Safeway tanto carne de boi, galinha ou peixe sempre têm uma aparência bem melhor. No IGA também são boas, mas mais caras.

Na média, tirando o primeiro mês, estamos gastando 370 dólares por mês em comida. Mas isso são só as compras em supermercado. E para um casal com alimentação bem diferente entre si. Um é vegetariano e come carne de soja. O outro não come vegetais.


Custo de Vida em Vancouver – transporte

Maio 20, 2009

O transporte público aqui na região central de Vancouver é bem eficiente, pelo menos na minha opinião. Quando você compra a passagem, ela continua valendo pelos próximos 90 minutos. Durante esse tempo, você pode pegar ônibus, skytrain (metrô) e barcas quantas vezes quiser. Se quiser ficar indo e voltando por 90 minutos, pode.

Tem três faixas de preço: 2,50 – 3,75 – 5,00. Pela cidade de Vancouver é a primeira faixa. Se quiser ir para Burnaby, Richmond ou North Vancouver, a segunda faixa. A terceira é para as demais cidades em volta. Ainda tem o passe mensal, que sai a 73 – 99 – 136. Tem vários pontos de venda espalhados pela cidade.

Os ônibus não dão troco. O dinheiro é colocado em uma máquina que fica ao lado do motorista, não tem trocador, e a máquina emite o ticket. Só pode ser pago em moedas. No skytrain e na barca é possível pagar com notas e a máquina te dá troco. Uma vez comprei uma passagem com uma nota de 20 e a máquina me deu todo o troco em moedas… o pior é que o compartimento de moedas da minha carteira está arrebentado…

E no site da empresa responsável pelos serviços, você consegue saber os itinerários. É só colocar o trajeto, saindo de e indo para, que aparecem todas as opções. Muitas vezes são mais de um ônibus que você pega. (www.translink.ca)

É bom também chegar antes do horário do site no ponto de ônibus. Se for um ônibus que passe de cinco em cinco minutos não é problema. Mas se ele passa a cada 30 minutos e chegar no seu ponto 5 minutos antes…


Custo de Vida em Vancouver – aluguéis

Maio 19, 2009

Escolhemos morar em West End aqui em Vancouver. As razões principais eram por não precisar de carro ou transporte público para nos locomovermos em volta.

Daqui para qualquer lugar em Downtown, Yaletown, Stanley Park, Gastown, Granville Island e até o início de Kitsilano leva-se de vinte a trinta minutos caminhando. E se precisar ir para um pouco mais longe, os ônibus e o skytrain são de fácil acesso.

O comércio por aqui é o suficiente para o que precisamos. Tem lojas, restaurantes, supermercados e cinemas por perto. Claro, a Ikea para comprar móveis baratos é bem mais longe, mas nada que um ônibus não resolva. 

Temos a orla bem perto para passear e admirar as belezas da cidade.

Os aluguéis de apartamentos de 1 quarto aqui em West End, pelo menos de março a abril quando procuramos, iam de 950 a 1300 dólares. Tudo depende do tamanho, da rua, dos serviços. Todos incluíam a água quente, o aquecedor e o condomínio no preço. Só é preciso pagar a luz, que fica mais ou menos em quinze dólares e a vaga para quem tem carro.

Os apartamentos também possuem geladeira e fogão, alguns poucos lava-louças. As máquinas de lavar e secar roupa são comunitárias. No caso do nosso prédio, tem uma por andar. Outros prédios tinham um salão com várias delas. Quase todos os prédios também têm uma mini academia. Os contratos são normalmente de 1 ano.

Em Yaletown o preço subia um pouco, ia de 1200 a 1500. Demos uma olhada também em Burnaby. Os preços baixavam no máximo 100 a 200 dólares em relação ao West End. Achamos que não valeria economizar no aluguel e gastar em transporte.

Pensamos também em Kitsilano que é uma área bem calma e bonita. Mas nos pareceu que lá as coisas são um pouco mais longe e só tendo um carro valeria.

Essas são as nossas impressões iniciais sobre as regiões centrais de Vancouver. Claro que tudo depende de onde você trabalha ou estuda.

vancouver_map2vancouver_map