Com licença!

Julho 9, 2009

Continuo impressionado como o sistema público canadense funciona bem. E rápido. E eficiente.

Passei na prova de motorista no dia 2 de julho. O prazo que me foi dado para receber pelo correio a carteira era de 10 dias. Já estava contando como 10 dias úteis.

Mas chegou hoje, dia 9 de julho. Quer dizer, peguei na caixa de correio hoje. Deve ter chegado ontem. Não foram nem 10 dias corridos. Sensacional.

Só uma coisa não me deixou muito feliz. A carteira tem validade de 2 anos. Espero que seja só renovar. Não quero passar por nenhum teste novamente…


Com licença para dirigir

Julho 3, 2009

Já tinha lido em alguns blogs sobre como é a prova prática de motorista aqui no Canadá. Muitos aconselhavam a fazer algumas aulas de auto-escola antes. 

Não levei a sério esses conselhos. Já dirigia há mais de dez anos no Brasil. Já tinha dirigido nos EUA. Já tinha dirigido aqui no Canadá. Para quê gastar mais dinheiro fazendo auto-escola?

Quebrei a cara. Fui reprovado em duas provas. Na primeira porque não tinha feito shoulder check (olhar para trás e não confiar só nos espelhos) suficientes. Na segunda, não vi uma placa me proibindo de virar à direita com o sinal fechado (aqui, normalmente é permitido virar à direita com o sinal fechado).

Tiveram outros erros que não foram as razões principais da reprovação, mas que contribuíram. Na primeira vez, ultrapassei levemente a velocidade máxima permitida. E nas duas vezes não estava fazendo as entradas à esquerda do modo correto.

Aqui, as ruas têm mãos para os dois lados e para entrar para a esquerda você fica parado no meio do cruzamento até ter espaço para poder virar. Eu estava muitas vezes passando um pouco do ponto de virar e quando virava, tinha que corrigir a trajetória.

Enfim, acabei aprendendo isso na prática, sem fazer aulas. Uma hora de aula custa 40 dólares. A prova prática custa 50. Mais o carro que você tem que alugar. Ou pegar emprestado.

Hoje fiz a prova e passei. São 45 minutos dirigindo pelas ruas. Fiz em Norte Vancouver. Dizem que lá é difícil. Mas me senti mais confortável e confiante do que em Point Grey, onde fiz minha segunda prova e dizem que é mais fácil.

Agora é só esperar 10 dias que a carteira chega pelo correio. Por enquanto tenho uma autorização provisória. E eles me devolveram a carteira brasileira confiscada quando reprovei.

Ps.: Tem um amigo nosso australiano que para não precisar tirar a carteira aqui, cruza a fronteira a cada três meses, que é o tempo que as carteiras de outros países ficam válidas aqui. Acho que os australianos têm um pouco da malandragem brasileira…


O dia em que perdi a carteira

Maio 11, 2009

Ah, já ia me esquecendo de dizer. Eles também confiscaram minha carteira de motorista brasileira. Agora tenho uma permissão para dirigir. Mas só acompanhado de alguém com uma carteira válida…


O teste prático para tirar a carteira de motorista

Maio 11, 2009

Fiz hoje de manhã o teste prático para tirar a carteira de motorista e não passei. 

Não passei por causa de uma coisa que não se deve fazer no Brasil, mas que aqui é obrigatório: shoulder check, mais conhecido como uma olhadinha para trás antes de virar para a direita.

Aparentemente eu preciso fazer ‘more consistent shoulder checks just prior to any right turn from a stopped position’. O que na verdade quer dizer que a olhadinha tem que ser um olhadão.

De resto, a prova foi tranquila. Dirigir pelas ruas, entrar para a direita, para a esquerda, tanto em ruas simples quanto em cruzamentos com carros vindos por todos os lados, diminuir a velocidade em zonas escolares para 30km/h, manter em 50km/h no restante, entrar em uma highway e depois sair.

Enfim, o que pegou mesmo foi a olhada para o lado/trás…


Carteira de motorista

Abril 24, 2009

Hoje fiz a prova escrita para tirar a carteira de motorista. Passei. Acertei 89% da prova, que na verdade não é escrita, é num computador. São 50 questões de múltipla escolha e tem que acertar pelo menos 40. Quando acerta 40, a prova acaba. Nem precisei fazer as 50.

Mas para chegar até esse ponto, a primeira coisa que fiz foi ligar para o Detran daqui, ICBC, para ter certeza dos passos a seguir. Eles deram o endereço do sindicato dos tradutores juramentados.

Assim, entrei em contato com a tradutora do português para o inglês e passei um fax com minha carteira brasileira. Custou 60 dólares. Meio carinho… mas enfim…

Fui na ICBC e peguei o livrinho para estudar para a prova. Antes de ler, entrei no site e fiz um teste on line. Fui mal… acertei só 60%… fiquei preocupado. Fui lendo o livro com calma. Terminei. Fiz o teste de on line de novo. Cravado em 80%. Ops…

Então resolvi fazer o teste diariamente durante uma semana. Comecei a melhorar e a decorar as questões. Que foram mais ou menos as mesmas da prova valendo. Deu certo.

Agora já posso marcar a prova prática.